Internacional

Postado em 08/01/2016 3:02

Sitiada por guerra, população de cidade síria ‘come cães e gatos’ para não morrer de fome

.

Share Button
Share Button

Cidadãos sírios estão morrendo de fome em Madaya, cidade próxima à capital Damasco e sitiada pelo governo em meio à guerra civil no país, segundo denunciaram ativistas da oposição.

“As pessoas estão morrendo. Elas estão comendo coisas do chão. Estão comendo cães e gatos”, disse à BBC uma ativista cuja família está em Madaya.

Relatos também dão conta de situação semelhante em dois vilarejos xiitas no norte do país, que são alvo de um longo cerco por parte dos rebeldes, onde moradores têm se alimentado de grama para sobreviver.

A ONU afirma que todos os lados envolvidos no conflito no país vêm lançando mão de táticas de guerra e isolando cidades, o que viola leis internacionais de direitos humanos.

O Programa Alimentar Mundial, agência da ONU para o combate à fome, e a Cruz Vermelha descreveram a situação em que se encontram determinadas localidades como “extremamente alarmantes”.

Nesta quinta-feira (7), a ONU afirmou que o governo sírio concordou em permitir que ajuda humanitária chegue a Madaya.

Entenda a seguir o que se sabe até o momento sobre os civis presos nestes cercos após quase cinco anos de guerra civil na Síria.

Galeria de Fotos

Outras Notícias:

Luto na musica Internacional

Chester Bennington, vocalista do Linkin Park, é encontrado morto

Chester Bennington, vocalista da banda de rock Linkin Park, foi encontrado morto nesta quinta-feir...

Internacional

Uruguai começa venda em farmácias de maconha para consumo recreativo

A partir desta quarta-feira (19/7) os 3,4 milhões de habitantes do Uruguai podem encontrar nas farm...

Lição de Vida

Garçonete serve mendigo sem discriminá-lo; quando ele vai embora deixa um bilh

Seu chefe avisou que se ela alimentasse o mendigo e ele, que mal conseguia se mover, não pagass...

Mundo

Bebê num braço, bomba no outro: o Iraque tem esperança?

Otimismo é um estado de espírito em geral incompatível com o Oriente Médio. Ainda mais para quem...

Comentários:

BUSCAR NO SITE: