Notícias

Postado em 05/09/2016 1:10

Pesquisa aponta aumento do endividamento das famílias brasileiras em agosto

58% das famílias brasileiras se encontram endividadas em agosto de 2016. Principal dívida é cartão de crédito.

Share Button
Share Button

O endividamento das famílias brasileiras volta a subir em agosto, atingindo 58%, segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNM). A Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor foi divulgada pela confederação no úlltimo dia 1º, depois de seis meses consecutivos de queda na comparação mensal.

A alta do endividamento das famílias demonstrada pela pesquisa no mês de agosto mostra, chegou a 0,3 ponto porcentual em relação a julho, quando o índice era de 57,7%. Em agosto de 2015, quando o endividamento atingia 62,7% das famílias, o índice diminuiu 4,7 pontos percentuais.

Segundo especialista, o endividamento vinha caindo antes não por melhora econômica das condições das famílias, mas por conta do receio da situação econômica do país.

Os números de agosto demonstram um aumento no percentual das famílias que têm dívidas em atraso – no cheque pré-datado, cartão de crédito, cheque especial, carnê de loja, empréstimo pessoal, ou na prestação de carro ou seguro. O número subiu 24,4% em julho, dois pontos percentuais a mais em relação a junho (22,9%). Em agosto de 2015, o percentual de endividamento das famílias era de 22,4%.

Outros dados da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor, demonstram que o percentual de inadimplência aumentou de julho para agosto. Famílias que relataram não ter como pagar suas dívidas, e que assim, vão permanecer inadimplentes correspondem a 9,4%, superando em 0,7 ponto percentual o mês de julho, quando o indicador registrou 8,7%. Em agosto de 2015, a inadimplência era de 8,4%

O tempo médio de atraso para pagar as dívidas em agosto deste ano é de 63,3 dias. Já o tempo médio de comprometimento com as dívidas é de 7,2 meses, sendo que 34,9% possuem dívidas por mais de um ano. 21,6% do total de famílias brasileiras tem mais da metade da renda comprometida com o pagamento de dívidas.

O principal tipo de dívida para 76,5% das famílias é o cartão de crédito, seguido de carnês (15,3%) e financiamento de carro (11,1%).

BUSCAR NO SITE: