Notícias

Postado em 26/07/2016 2:37

Ônibus voltam a circular no final de linha de Paripe no subúrbio

.

Share Button
Share Button

Os ônibus voltaram a circular no final de linha do bairro de Paripe, subúrbio de Salvador, no final da manhã desta terça-feira (26). Os veículos deixaram de rodar na segunda-feira (25), após protestos de moradores contra a morte de um adolescente de 15 anos. Até o início da manhã desta terça ,os coletivos só avançavam até o Largo de Paripe, a cerca de dois quilômetros do tradicional ponto de parada, na Rua Almirante Tamandaré.

A informação é do Sindicato dos Rodoviários da Bahia, que havia determinado a suspensão do transporte no local por questão de segurança. Os veículos voltaram a circular após negociação com a polícia.

Na noite de segunda-feira, os moradores que precisaram percorrer o caminho mais longo reclamaram. “Os pés doendo. Cheguei do trabalho e estou cansada. Vou ter que andar muito”, relatou uma mulher.

Protesto
O protesto que causou o incêndios aos ônibus ocorreu na manhã de segunda-feira, após a morte de Alisson de Jesus Santana, de 15 anos. Ele morreu após ser baleado durante uma festa na localidade de Bate Coração, no bairro de Paripe.

A família acusa policiais militares pela morte do jovem e diz que ele foi morto com um tiro nas costas. A mãe do rapaz disse que espera por justiça. “Eles [os policiais] atiraram pelas costas, na covardia. Quero providências, quero justiça. Não pode ficar assim não, senão vai ser mais um. Todo dia é um. Chegam lá tocando o terror”, destacou Luzinete Santana.

A PM tem outra versão para o caso. Por meio de nota enviada à imprensa, a corporação informou que policiais da 19ª Companhia Idenpendente (CIPM) só chegaram ao local onde Alisson foi morto depois do jovem ter sido atingido. Sobre as denúncias, a PM diz que orienta as testemunhas que formalizem denúncia nas ouvidorias na sede da corregedoria da corporação, no bairro da Pituba, em Salvador.

Segundo os parentes, no entanto, Alisson estava em uma festa acompanhado de amigos e da namorada, na noite de domingo (24), quando os PMs chegaram atirando. O jovem morreu no local, a dois quarteirões de casa.

O irmão da vítima, Marcelo Santana, disse que o adolescente estudava e trabalhava com entrega de materiais de construção e em uma pizzaria. “Meu irmão estudava. Estava sempre fazendo o ‘correzinho’ dele para ganhar dinheiro, ajudar minha mãe. Infelizmente, ocorreu essa fatalidade”, afirmou.

Uma mulher que preferiu não se identificar e que trabalha no largo onde o adolescente foi baleado, diz que o filho já foi agredido por PMs e que é comum os moradores serem abordados de maneira violenta pelos policiais. “Eles não procuram identificar nada. Já chegam na violência, como fez com meu filho. Eles não procuram verificar nada. É só na violência mesmo. Aí, fica difícil”, destacou.

Sobre as acusações de moradores contra ações de policiais no bairro, a PM informou que orienta as testemunhas a formalizar denúncia na ouvidoria da corporação, pelo telefone 0800 284 0011, ou na sede da corregedoria no bairro da Pituba.

Galeria de Fotos

Outras Notícias:

Policia

Policial militar é ferido durante tentativa de assalto dentro de trem do Subúr

Guarnições da Polícia Militar se deslocam, na noite desta sexta-feira (21), para Itacaranha, no s...

Convocação!

Participe da Oficina de Identificação dos Problemas de Saúde do Subúrbio Fer

Para planejar ações em saúde é necessário que exista, em primeiro lugar, um momento para a cons...

Acidente

Motorista capota carro dentro de estacionamento no Shopping da Bahia

Um carro capotou no estacionamento do Shopping da Bahia, na manhã desta sexta-feira (21), em ...

Educação

Prorrogadas até 27 de julho as inscrições para o MedioTec

Estão prorrogadas, até o dia 27 de julho, as inscrições para os cursos do MedioTec. As oportunid...

Comentários:

BUSCAR NO SITE: