Notícias

Postado em 25/05/2016 10:00

No Dia da África servidores estaduais abordam enfrentamento ao racismo

.

Share Button
Share Button

No Dia da África (25), o enfrentamento ao racismo pautou a roda de conversa promovida, nesta quarta-feira, pela Secretaria da Educação do Estado da Bahia em parceria com a Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi), no âmbito do programa Educar para Transformar. Servidores de diferentes órgãos abordaram a importância da educação para o enfrentamento ao racismo. O encontro aconteceu no auditório da Secretaria da Educação, no Centro Administrativo.

 

Dentre os temas abordados destacam-se a Década Internacional Afrodescendente, proclamada em 2013 pela Organização das Nações Unidas (ONU), e que tem como tema “Reconhecimento, Justiça e Desenvolvimento”. A década, que vai do período entre 1º de janeiro de 2015 a 31 de dezembro de 2024, tem como finalidade a promoção do respeito, proteção e a garantia de todos os direitos humanos e liberdades fundamentais dos afrodescendentes, como propõe a Declaração Universal dos Direitos Humanos

 

A Secretaria da Educação do Estado da Bahia adota políticas públicas voltadas à Educação para a diversidade. O objetivo é fazer com que os estudantes se sintam cada vez mais incluídos no contexto educacional e se reconheçam como agentes transformadores de suas próprias histórias e da sociedade. Isso atende a demandas específicas, como a da Educação para Relações Étnico-Raciais. Assim, o combate ao racismo e a toda forma de preconceito é abordado nas escolas por meio de ações e projetos, como seminários, videoconferências, formações continuadas e material pedagógico, tendo como uma das referências a Lei 10.639, que institui a obrigatoriedade do ensino da história e da cultura africana nas escolas.

 

A diretora da Educação e Suas Modalidades, da Secretaria da Educação do Estado, Elizete França, afirma que a ampliação das discussões sobre essa temática é de fundamental importância. “Nossos servidores do campo da educação vão até a ponta com os estudantes nas escolas discutir questões como o racismo pensando em ações que valorizem o negro na sua integridade”, destaca.

 

O coordenador de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, da Sepromi, Antônio Cosme Lima, destaca que o enfrentamento ao racismo é uma ação cotidiana. “Nós temos ainda muitos desafios para superar o racismo, a exemplo da intolerância religiosa e o racismo institucional. A educação é um instrumento imprescindível para valorizarmos e nos reconhecermos como afrodescendentes”, afirma.

Galeria de Fotos

Outras Notícias:

Policia

Passageiro morre após ser baleado durante assalto a micro-ônibus em Salvador

Luís Carlos Santana, de 54 anos, morreu durante assalto a um micro-ônibus no bairro da Fazenda Gra...

Crime

Comerciante é baleado três vezes em tentativa de assalto

Um comerciante conhecido como “Aldo do Caldo de Cana”  foi baleado ao sofrer tentativa de assal...

Viirou Filme ??

DVD com massacre de Manaus vira sucesso de vendas; Disco já foi vendido em Salv

A trágica morte de 59 presos no Complexo Penitenciário Antônio Jobim (Compaj), em Manaus (AM), no...

Policia

Agente socioeducativo é morto com filho no colo no Uruguai

O agente Landislau Rabelo Oliveira, conhecido como Landinho, 39 anos, foi executado a tiros na porta...

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

BUSCAR NO SITE: