BUSCAR NO SITE:

Outras Noticias

Morro do Cristo com tirolesa é nova opção turística em Salvador

Postado em 29/09/2018 4:43 - Atualizado em: 29/09/2018 4:43
Share Button

Quem passa pelo trecho de orla Barra/Ondina já conta com dois atrativos que ressalta ainda mais a beleza do local. Uma delas é o Monumento ao Cristo Nosso Senhor, que passou por requalificações da estátua e da área que envolve o monumento, promovidas pela Prefeitura. A outra é a tirolesa instalada no entorno, que foi inaugurada pelo prefeito ACM Neto em cerimônia realizada no fim da tarde desta sexta-feira (28).

Acompanhado do vice-prefeito Bruno Reis, secretários e gestores municipais, autoridades e população, o prefeito ressaltou que foi avaliado com cuidado o projeto mais adequado para a área, tombada pela administração municipal no ano passado. “A intenção é preservar o conteúdo histórico e servir de exemplo de como a cidade vem se modernizando e valorizando o espaço público.”

ACM Neto também lembrou que aquela era uma área mal cuidada e que as pessoas estavam deixando de frequentar o local. “Agora, todos vêm aqui para aproveitar o espaço e contemplar Salvador”, completou.

Com a filha Ana Carolina, de 11 anos, a cuidadora de idosos Maria das Graças Ribeiro, de 41 anos, era só encantamento com o Morro do Cristo. “Moramos na Centenário e costumamos vir sempre aqui. Realmente, estava precisando de uma intervenção. Agora está tudo maravilhoso, e com a tirolesa, então, é outro astral. A cidade estava precisando de algo assim”, relatou.

Melhorias – O projeto de requalificação do Morro do Cristo, realizado pela Fundação Mário Leal Ferreira (FMLF), compreende uma área de aproximadamente 500 m², e teve investimento de R$1,2 milhão.

As mudanças no monumento, tombado em março do ano passado através da Lei de Preservação ao Patrimônio Cultural do Município (Lei 8.550/2014), organizada por meio da Fundação Gregório de Mattos (FGM), durante homenagem aos 468 anos de Salvador, inclui alvenaria de contenção, piso e iluminação. Foi feita ainda a substituição do pedestal, que passou de granito preto para vidro, sem alterar as características do patrimônio.

A mudança do pedestal tem como intuito fazer com que as pessoas tenham a impressão de que o Cristo pareça “flutuar” sobre o mar. Houve também um restauro da imagem do Cristo com recomposição de um dedo e do cajado, ambos em mármore carrara. Para o acesso à estátua, as antigas placas de concreto foram substituídas por granito, por causa de sua durabilidade, formando degraus ao longo da encosta.

O monumento e seu entorno estão inseridos em Área de Borda Marítima de Salvador, para a qual a atual administração municipal está realizando intervenções buscando a requalificação urbano-ambiental dos seus espaços. Trata-se, portanto, da conservação de um patrimônio, religioso e cultural e da preservação de um dos mais bonitos sítios da cidade do Salvador e importante ponto turístico.

Desde junho deste ano, a Guarda Civil Municipal (GCM) monitora 24 horas por dia a área onde encontra-se o Monumento ao Cristo Nosso Senhor, com o objetivo de garantir a preservação do equipamento público e a segurança dos visitantes. Foram instaladas câmeras que permitem que agentes da Guarda Civil possam acompanhar toda e qualquer movimentação nas proximidades do Cristo.

História – Localizada na Barra, a escultura foi fruto de uma encomenda do conselheiro José Botelho Benjamim. Natural de Lençóis, Benjamim foi promotor na Comarca de Lavras Diamantinas e juiz da Comarca de Valença, que se estabeleceu em Salvador em 1898. Ao se converter ao catolicismo, resolveu presentear a cidade com um monumento em louvor a Cristo. A obra de arte ficou a cargo de Pasquale de Chirico, que se tornou um dos mais importantes escultores de obras públicas monumentais de Salvador do século XX. Feita em um único bloco de mármore Carrara, a estátua foi trazida da cidade italiana de Gênova para a capital baiana a bordo do navio Cervino.

Inaugurada de forma solene em 24 de dezembro de 1920 – 11 anos antes da instalação do Cristo Redentor no Rio de Janeiro – a cerimônia contou com discurso do padre Luiz Gonzaga Cabral, orador sacro da época, na gestão do então governador José Joaquim Seabra. O primeiro local que abrigou o Monumento ao Cristo Nosso Senhor foi o Morro do Camarão, a alguns metros de onde a estátua está situada hoje. O pedestal era todo revestido em pedras de cristal de rocha da Chapada Diamantina, em alusão à região do benfeitor.

No entanto, em 1967, a Aeronáutica decidiu transformar o local em área de segurança militar. A obra de arte, então, foi transferida para uma elevação defronte ao Morro Ipiranga e ganhou um novo pedestal, desta vez com base em granito preto. Com o passar dos anos, o local onde foi implantado o monumento passou a ser reconhecido como Morro do Cristo da Barra.

A nova localização deu maior visibilidade à obra de arte, cuja figura do Cristo possui 2,80m e 7m no total, contando com o pedestal. E mais: é uma das mais belas vistas da orla de Salvador, apreciada por moradores e visitantes principalmente para ver o pôr do sol na praia da Barra, até o Farol. Também hoje é ponto de encontro para um bom bate-papo, para o namoro e até mesmo para pequenas confraternizações ao ar livre.

Outras Notícias

Anunciantes Premium!


Coloque o seu Anúncio aqui!

BUSCAR NO SITE: