Notícias

Postado em 13/08/2015 6:00

Mais de R$ 1 milhão serão investidos em encostas no Alto da Terezinha

.

Share Button
Share Button

Moradores da rua Ana Lúcia, no bairro de Alto da Terezinha, no Subúrbio Ferroviário de Salvador, foram beneficiadas com a autorização para o início das obras de contenção de encostas em 14 pontos diferentes da localidade. A ordem de serviço foi assinada na manhã desta quarta-feira (12) pelo governador Rui Costa, que, acompanhando da comunidade e de autoridades, visitou o bairro e conheceu a região que receberá as obras. O objetivo das intervenções, que vão custar cerca de R$ 1,2 milhão, é dar mais tranquilidade e segurança a moradores de áreas classificadas como de risco alto e muito alto de desabamento.

Para dar mais comodidade aos moradores da região, as obras de responsabilidade da Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Conder) incluem, além de contenção e estabilização das encostas, melhorias da infraestrutura do entorno, ações de urbanização e acessibilidade, como a construção de mais de 650 metros de calçadas e instalação de valetas e canaletas.

Rui Costa no alto da Terezinha – Fotos: SECOM
Depois de escutar moradores e visitar algumas casas, o governador falou à comunidade que lembra da época em que viveu à beira de uma encosta em Salvador e que viu amigos e vizinhos morrerem vítimas das chuvas. “Eu sei o que é o medo que os moradores de áreas como essa sentem, e também sei o que significa uma noite de sono tranquila, sabendo que sua família está segura. Mas eu chego aqui, vejo as necessidades dos moradores e faço questão de conhecer outros problemas das comunidades. No Alto da Terezinha, algumas casas estão em cima de um canal e já solicitamos à Conder um projeto de macrodrenagem, que está 60% concluído “, destacou o governador.

Segurança dos moradores

Durante as obras – que têm início com o cadastramento das casas logo após a assinatura da ordem de serviço, nesta quarta, e previsão de serem finalizadas no início de 2016 –, cerca de 25 famílias receberão o aluguel social para deixar suas casas temporariamente e para que as intervenções sejam realizadas com segurança. Com o término das intervenções, os moradores poderão retornar aos imóveis já com a garantia de viverem em um local sem riscos de desabamento.

Com a casa à beira de um barranco que desabou parcialmente com as chuvas de abril deste ano, a merendeira Lilían Rebeca Teixeira, espera voltar para o imóvel da família com a recuperação da encosta que fica na porta da residência. No local moram ela, o marido, o filho e uma irmã que tiveram que sair às pressas depois de escutar os gritos dos vizinhos, minutos antes de as terras cederem na porta de casa. “Meu marido perdeu muito peso, eu já chorei muito por ter saído de minha casa, minha filha todo dia pergunta que dia vão consertar ‘a casa que quebrou’. Hoje, só a notícia de que em breve poderemos voltar a morar no lugar que é nosso, no que foi a realização do sonho da casa própria, já é um motivo de alegria para minha família”, contou a merendeira. Atualmente, ela conta que, além de pagar aluguel, eles estão longe de irmão, cunhados e pais, que também moram no bairro.

Programa de contenção de encostas

O investimento realizado na rua Ana Lúcia faz parte do Programa de Prevenção de Desastres Naturais, que prevê construção de estruturas contenção de encostas em 98 localidades de Salvador até o final de 2016, com investimento na ordem de R$ 156 milhões. Esses locais são regiões identificadas no Plano Diretor de Encostas da capital como zonas de risco alto ou muito alto e foram divididas em quatro etapas para construção.

Com duas dessas etapas já concluídas, a localidade de Alto da Terezinha faz parte das 25 encostas previstas na terceira parte do projeto que já contemplou regiões como bairros de Cajazeiras (Rua Marisol e Loteamento João de Barro), Águas Claras (Loteamento Nogueira), Pau da Lima (Rua São Rafael), Castelo Branco/Pau da Lima (Rua 12 de Julho) Nova Brasília/Pau da Lima (1ª Travessa Cosme e Damião), Retiro/São Caetano (Rua São Miguel), Rua 11 de Julho, em Cajazeiras e 1ª Travessa Agda Ferreira, no Pau da Lima.

Segundo o secretário de Desenvolvimento Urbano (Sedur), Carlos Martins, esse é o maior projeto desse tipo que já foi executado na capital baiana e que mostra como a gestão pública deve se preocupar em levar mais qualidade de vida para todas as partes da cidade. “Somente essa semana é a segunda vez que assinamos ordem de serviço para contenção de encostas. Esse programa tem duas funções principais: evitar a perda de vida humanas por falta de intervenções e, ao chegar no local, percebemos a necessidade de melhorias na urbanização. Por isso, em Alto da Terezinha vamos também melhorar as ruas como um todo e trazer um outro projeto de macrodrenagem para dar mais dignidade às famílias”, explicou o secretário à comunidade.

Outras Notícias:

Paripe

SineBahia Móvel finaliza ações de março em Paripe (30 e 31)

Chegou a vez de o subúrbio ferroviário contar com os serviços do SineBahia Móvel. Serão dois di...

Febre Amarela

PARIPE-BARRA-BROTAS: Sobe para três o número de macacos mortos por febre amare

Após a descoberta de um macaco morto por febre amarela na Vila Laura, em Brotas, a...

Lava Jato

Ministério Público Eleitoral pede a cassação de Michel Temer ao TSE

O Ministério Público Eleitoral (MPE) pediu ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a cassação do pr...

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

BUSCAR NO SITE: