Notícias

Postado em 29/06/2016 2:58

Ladeira do Alto do Cruzeiro está entres as 10 ladeiras mais perigosas de Salvador; juntas elas registram quase 600 acidentes em dois anos

.

Share Button
Share Button

Não adianta pedir misericórdia. Quem mora em Salvador sabe que um grande pepino a descascar são as ladeiras, que sobem e descem por todos os lados. Seja para chegar ou sair de Brotas, para subir do Comércio ao Pelourinho, descer de Nazaré para as Sete Portas, não adianta preguiça – tem que encarar o desafio. Mas problema mesmo é quando o motorista não aguenta subir nem descer com segurança.A Superintendência de Trânsito do Salvador (Transalvador) listou as dez ladeiras mais perigosas da capital, onde ocorreram, nos últimos dois anos e meio, 588 acidentes.ainda visitou algumas ladeiras famosas, por conta da inclinação acentuada, e elaborou uma lista com as dez mais íngremes.

Em matéria de ocorrências, a que vem acumulando o maior número de acidentes nos últimos dois anos e meio fica em Águas Claras: é a Rua Celika Nogueira, que nem é das ladeiras mais íngremes, embora a subida seja constante ao longo dos 1,2 km de extensão. Além disso, a rua é estreita e tem mão dupla até chegar à BR-324. Lá, de janeiro de 2014 até 17 de junho deste ano, foram incríveis 282 acidentes – a maioria sem gravidade. Somente este ano foram 33 registros, com uma morte e seis feridos. (Veja na tabela completa ao fim do texto as ladeiras mais perigosas).

Rua Padre Eloy, em Brotas, onde uma oficina teve fachada demolida após batida de carro desgovernado
(Foto: Marina Silva/CORREIO)

Ocorrências
Os acidentes são dos tipos mais variados: desde a falta de freio e a descida desgovernada, por vezes atravessando pistas, até as batidas em outros carros, postes e imóveis. Nos mais graves, não são só os motoristas que levam aquele susto: gente fica ferida, casas são destruídas e, às vezes, quem vai passando pelo local não sobrevive para contar a história – foi o que aconteceu no último dia 8, em Praia Grande, quando duas pessoas morreram esmagadas por um caminhão desgovernado na Subida do Cruzeiro.

Este ano, a segunda ladeira mais problemática tem sido a Ladeira do Arco, em Nazaré, com oito acidentes, cinco com feridos. No dia 16, um caminhão desgovernado desceu a ladeira, sem freio, e acabou atingindo em cheio um poste, que derrubou outros dois. Dois pedestres ficaram levemente feridos e a região ainda passou parte do dia sem energia elétrica.

Já atingido por caminhão, imóvel tem piquetes na Rua Reis Príncipe
(Foto: Marina Silva/CORREIO)

Tensão
Na Ladeira do Acupe, em Brotas, moradores logo apontam a vizinha problemática: é a Rua Padre Eloy, que sai do Acupe e cai no Vale do Ogunjá. Mas embora ela nem figure na lista apontada pela Transalvador, a também chamada Ladeira de Joaquim dos Couros já trouxe muito prejuízo para o mecânico George Douglas Gouveia, 45 anos, que mantém uma oficina no pé da ladeira há 26 anos. A fachada já precisou ser reconstruída três vezes depois que veículos desgovernados não suportaram subir ou descer a rua e acertaram em cheio o portão principal e os pilares da frente da oficina.

Para ele, seria preciso mais atenção dos órgãos de trânsito com o local, que sequer possui uma placa restringindo o tráfego de veículos pesados. “Imagine um carro pesado subindo aqui. Deveria ser proibido qualquer carro de mais de três toneladas”, argumentou.

George não se conteve em apenas contar os acidentes. “Entra aqui no carro, bota o cinto que vou te mostrar, na prática, como é quando um carro desce isso aqui desgovernado”, disse, quando questionado sobre o risco de trabalhar num lugar assim. E mostrou que subir a rua, mesmo com um carro ocupado por apenas três pessoas, já é um suplício. Na descida, sem pisar no freio, mostrou como o veículo ganha velocidade rapidamente. “Quando perde o controle, só para quando bate em algum lugar”, contou.

Carreta tombou em abril na Rua Celika Nogueira, ladeira mais perigosa
(Foto: Mauro Akin Nassor/Arquivo CORREIO)

Quem também vive com medo é a costureira Isabel Luiza Bispo, 60. Ela trabalha num imóvel na Ladeira do Funil, em Nazaré, e já cansou de testemunhar acidentes. “A gente já fica com medo de estar aqui trabalhando e algum carro bater, mas vai fazer o quê? Tem que ficar”, lamentou. Além de ser um problema para os motoristas, a Ladeira do Funil, oitava mais perigosa para a Transalvador, causa incômodo em quem precisa subir a pé. “Minha filha, essa ladeira tá matando é velho”, diz Isabel, se referindo à dificuldade da subida íngreme demais e às constantes dores na coluna.

Na Ladeira do Pau Miúdo, um acidente há sete anos motivou os próprios moradores a instalar um guard rail em uma curva. Lá, na época, um caminhão sem freio desceu a rua e atingiu uma família inteira que andava pela calçada, segundo moradores. Na entrada da rua, um aviso proibindo o tráfego de veículos acima de 4,5 toneladas, que costuma ser desrespeitado.

Subida do Cruzeiro: caminhão matou dois e atingiu imóvel no dia 8
(Foto: Almiro Lopes/Arquivo CORREIO

ImprudênciaO temor dos moradores faz sentido, segundo o professor de Engenharia Mecânica da Unifacs Ismael Oliveira. Para ele, 90% dos acidentes em ladeiras são frutos da imprudência dos motoristas. “Um caminhão já é um veículo naturalmente muito pesado, pesa de 10 a 11 toneladas e leva uma carga, às vezes, de 4 ou 5 toneladas. O motorista tem que ter a consciência de que um veículo com essa massa é muito difícil de parar”, diz.

Segundo Ismael, quando a perda de controle do veículo acontece nas subidas, a situação costuma ser mais perigosa. “Quando o motorista pega um caminhão muito pesado numa ladeira muito íngreme, chega um momento em que ele não consegue mais subir. E quando o veículo desengrena, é pior, porque ele começa a descer de ré e aí não há controle nenhum sobre o carro”, destacou.

AS DEZ LADEIRAS COM MAIS ACIDENTES EM SALVADOR

Rua

2014

2015

2016

Total

 1º – Rua Celika Nogueira, Águas Claras

131

118

33

282

 2º – Ladeira dos Galés, Brotas

38

30

7

75

 3º – Ladeira do Arco, Nazaré

21

22

8

51

 4º – Ladeira da Fonte das Pedras, Nazaré

24

18

3

45

 5º – Rua Rodolfo Pimentel, Engenho Velho de Brotas

23

16

7

46

 6º – Ladeira da Fonte, Campo Grande

15

11

6

32

 7º – Ladeira da Montanha, Comércio

15

12

4

31

 8º – Ladeira do Funil, Nazaré

8

6

2

16

 9º – Ladeira do Pepino, Nazaré

2

5

1

8

 10º – Ladeira da Preguiça

0

2

0

2

Acidentes em ladeiras registrados este mês
1º de junho  Uma Kombi bateu em uma casa na Ladeira do Ouro, Pau da Lima. O muro foi danificado e os dois ocupantes ficaram feridos e só foram retirados do veículo após bombeiros serrarem as portas. A mesma casa atingida já havia sido invadida por um trator há 11 anos.

8 de junho  Um caminhão desgovernado desceu a Ladeira do Cruzeiro, em Praia Grande(Subúrbio), atingiu uma casa e matou um mototaxista e um passageiro que passavam pelo local. Mais seis pessoas ficaram feridas. Parte do imóvel foi condenado pela Codesal.

14 de junho   Um carro não conseguiu manobrar na Ladeira do Pepino, em Nazaré, e invadiu a varanda de uma casa. Ninguém ficou ferido.

16 de junho Uma caçamba perdeu o freio e derrubou um poste na Ladeira do Arco, em Nazaré. Dois feridos.

Fontes:Correio

Outras Notícias:

Policia

Polícia prova através de DNA que homem estuprou quatro mulheres

Acusado de estuprar quatro mulheres em três diferentes municípios do interior da Bahia, o desempre...

Nota de Esclarecimento

Obra de recuperação no colégio Odorico será iniciada de imediato, garante SE

A chuva desta quarta-feira (22) provocou a queda da cobertura do ginásio de esportes do Colégi...

Conselho de Enfermagem garante nome social a travestis e transexuais

        Resolução do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) pu...

Educação

Dia Mundial da Água é marcado por ações socioambientais nas escolas estaduai

Os estudantes da rede estadual de ensino realizaram, nesta quarta-feira (22), data em que se celebra...

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

BUSCAR NO SITE:

CLIQUE NO X PARA FECHAR