Notícias

Postado em 04/03/2016 12:04

Guilherme Bellintani afirma que paralisação é política: “grande maioria dos professores não quer a greve”

.

Share Button
Share Button

“A grande maioria dos professores não quer a greve. Esse movimento está sendo comandado por alguns partidos radicais que não aceitam os avanços proporcionados até aqui pela Prefeitura de Salvador na área da educação. Oitenta e dois por cento das escolas já estão com a jornada integral implantada. Os 18% restantes serão implantados até o dia 10 de março, daqui a uma semana”.

Foi desta forma que o secretário municipal de Educação, Guilherme Bellintani, reagiu ao movimento paredista anunciado há pouco pelo Sindicato dos Professores. “A Prefeitura vai gastar por ano R$ 80 milhões para implantar a jornada integral. Tudo foi feito com muito diálogo. Agora a radicalização de um grupo pode prejudicar toda uma classe. Mas tenho certeza que o bom senso prevalecerá e a paralisação terá curta duração, até porque os alunos não podem ser prejudicados”, disse Bellintani .

A jornada integral, quando o professor passa um terço do seu tempo de trabalho fora da sala de aula, é uma luta de 20 anos da classe e uma vitória da gestão ACM Neto.​

 

Galeria de Fotos

BUSCAR NO SITE: