Notícias

Postado em 04/03/2016 12:04

Guilherme Bellintani afirma que paralisação é política: “grande maioria dos professores não quer a greve”

.

Share Button
Share Button

“A grande maioria dos professores não quer a greve. Esse movimento está sendo comandado por alguns partidos radicais que não aceitam os avanços proporcionados até aqui pela Prefeitura de Salvador na área da educação. Oitenta e dois por cento das escolas já estão com a jornada integral implantada. Os 18% restantes serão implantados até o dia 10 de março, daqui a uma semana”.

Foi desta forma que o secretário municipal de Educação, Guilherme Bellintani, reagiu ao movimento paredista anunciado há pouco pelo Sindicato dos Professores. “A Prefeitura vai gastar por ano R$ 80 milhões para implantar a jornada integral. Tudo foi feito com muito diálogo. Agora a radicalização de um grupo pode prejudicar toda uma classe. Mas tenho certeza que o bom senso prevalecerá e a paralisação terá curta duração, até porque os alunos não podem ser prejudicados”, disse Bellintani .

A jornada integral, quando o professor passa um terço do seu tempo de trabalho fora da sala de aula, é uma luta de 20 anos da classe e uma vitória da gestão ACM Neto.​

 

Galeria de Fotos

Outras Notícias:

Copa do Rei

Barcelona vence o Alavés e conquista a Copa do Rei na despedida de Luís Enriqu

Não foi do jeito que o torcedor queria, mas o Barcelona fechou a temporada com um título. Neste s...

Maio Amarelo

Passeio do Maio Amarelo deve receber 500 ciclistas neste domingo

Quinhentos ciclistas são esperados no passeio de bike, realizado pela Transalvador, com apoio do Mo...

Conta de Luz

Conta de luz não terá taxa extra em junho

A bandeira tarifária que será aplicada nas contas de luz no mês de junho será a verde, o que sig...

Mega Sena

Mega-Sena, concurso 1.934: ninguém acerta seis dezenas e prêmio vai a R$ 65 mi

Ninguém acertou as dezenas do sorteio 1.934 da Mega-Sena, realizado na noite deste sábado (27), em...

Comentários:

BUSCAR NO SITE: