Internacional

Postado em 06/10/2015 9:15

Crise na Síria: Assad critica coalizão dos EUA e alerta para ‘destruição no Oriente Médio’

Segundo ditador sírio, ofensiva liderada pelos americanos só aumenta o terrorismo.

Share Button
Share Button

A situação na Síria tem piorado a cada dia e, se a coalizão entre o próprio país, a Rússia, o Irã e o Iraque não for bem-sucedida, haverá “destruição no Oriente Médio”. A frase é do presidente da Síria Bashar al Assad em entrevista a uma televisão estatal local.

Assad criticou a coalizão liderada pelos Estados Unidos e os ataques aéreos na Síria e no Iraque comandados pelos americanos dizendo que eles são “contraprodutivos” e que só fizeram o terrorismo se espalhar ainda mais.

Enquanto isso, a Rússia segue atacando a região e tendo como alvo as chamadas posições controladas pelo grupo que se autodenomina “Estado Islâmico”.

Enquanto ativistas locais e os Estados Unidos criticam a atitude do governo de Moscou por supostamente estar “focada em atingir grupos rebeldes contrários ao regime de Assad” – e não o EI -, o governo sírio reitera seu apoio aos ataques liderados pelo Kremlin.

Segundo Assad, Síria, Rússia, Irã e Iraque estão unidos para combater o terrorismo e vão atingir “resultados práticos”, ao contrário da coalizão liderada pelos Estados Unidos.

Os adversários internacionais de Assad defendem a saída do presidente sírio como solução para a guerra civil que já dura quatro anos no país – apesar de alguns países do Ocidente já concordarem com a permanência dele por um período de transição.Do outro lado, Assad rebate: “A discussão sobre o sistema político da Síria é uma questão interna da Síria”.

Apoio russo

O Ministro da Defesa da Rússia, Sergei Ivanov, disse neste domingo que os bombardeios aéreos comandados por Moscou atingiram dez alvos do EI na Síria nas últimas 24 horas – incluindo postos de comando, um campo de treinamento, locais de armazenamento de munição e uma oficina de fabricação de dispositivos explosivos, como cintos suicidas.

Ivanov disse que os ataques aéreos russos, que começaram na quarta-feira (30), ainda serão expandidos.

“Como resultado de nossos ataques aéreos ao EI, conseguimos atrapalhar o sistema de controle deles e causamos danos significativos à infraestrutura utilizada para preparar atos de terrorismo”, afirmou.

Mas, segundo ativistas sírios, os ataques russos na região de Homs mataram pelo menos duas crianças e um pastor e feriram 15 pessoas.

As autoridades sírias teriam detido uma importante figura da oposição poucos dias depois de ela ter criticado os ataques russos à região.

Munzer Khaddam, porta-voz do Comitê Nacional de Coordenação para Mudanças Democráticas, foi preso em um posto de controle perto da capital Damasco, segundo relatos de autoridades à agência de notícias AFP.

Reação internacional

A Turquia e o Reino Unido já condenaram a intervenção militar russa na Síria em apoio ao presidente Assad.

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, descreveu a atitude russa como “um erro grave” que iria isolar ainda mais Moscou.

Em Londres, o primeiro-ministro David Cameron disse que as ações russas levariam a uma radicalização ainda maior e a mais terrorismo.

“Tragicamente, o que aconteceu é que a maioria dos ataques aéreos russos, pelo que nós vimos até aqui, foram em partes da Síria controladas por grupos opositores ao regime de Assad e não pelo EI”.

“Então, o que acontece é que eles estão apoiando o Assad, o que é um erro terrível para eles e para o mundo; isso vai aumentar ainda mais a instabilidade da região e vai levar a uma radicalização maior”.

“Eu diria para eles: mudem, juntem-se a nós no combate ao EI, mas reconheçam que, se queremos uma região segura, precisamos de um outro líder, que não Assad. Ele não pode unir o povo sírio”, completou.

Fonte: R7 Internacional

Outras Notícias:

Mundo

Idosa é espancada com golpes na cabeça durante assalto e entra em coma

Uma idosa de 64 anos foi assaltada dentro de sua casa, em Manchester, no Reino Unido, e foi espancad...

Polêmica

Durante culto, pastor liga para Deus usando celular: “Alô, é do céu?”

Um pastor no Zimbabwe ficou famoso em diversos lugares do mundo por conta de uma atitude durante um ...

Mundo

Número de mortos em protestos na Venezuela sobe para 50

Subiu para 50 o número de mortos em mais de um mês de protestos contra o governo do presidente da ...

Mundo

Teste de míssil norte-coreano faz ONU convocar reunião de urgência

O Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) convocou neste domingo (14) uma ...

Comentários:

BUSCAR NO SITE: