Notícias

Postado em 22/07/2016 11:57

Capoeira é reconhecida como expressão cultural e esportiva em Salvador

.

Share Button
Share Button

Um dos principais símbolos da capital baiana, a capoeira poderá ser difundida para todos os alunos de Salvador por meio de convênios entre as instituições de ensino e as associações da arte-luta. A Lei 9.072/2016, que reconhece a capoeira como expressão cultural e esportiva, de caráter educacional e formativo, e permite o estabelecimento de parcerias para o ensino da arte-luta nos estabelecimentos de ensino públicos ou privados de Salvador, foi sancionada pelo prefeito ACM Neto e divulgada aos capoeiristas em cerimônia realizada nesta quinta-feira (21), no Palácio Thomé de Souza.  Na ocasião, também foi entregue as chaves da Casa da Capoeira ao presidente da Federação de Capoeira da Bahia (Fecaba), Mestre Marcelo Grauçá.

De acordo com a lei, fica reconhecido o caráter educacional e formativo da capoeira em suas manifestações culturais, esportivas e como elemento formador da identidade soteropolitana.  Os estabelecimentos de ensino municipais, públicos e privados, poderão celebrar parcerias com associações, federações ou outras entidades que representem e congreguem mestres e demais profissionais de capoeira.

Além disso, o ensino da capoeira poderá ser integrado à proposta pedagógica das escolas, nos termos da Lei nº 4.013/1989, de forma a promover o desenvolvimento cultural dos alunos e fortalecer a identidade local. Para o exercício da atividade prevista na lei, não se exigirá do profissional de capoeira a filiação a conselhos profissionais ou a federações ou confederações esportivas.

Para o prefeito ACM Neto, o reconhecimento como expressão da identidade do povo soteropolitano faz com que a capoeira apresente também um convite às crianças e jovens não apenas para conhecer a expressão cultural, mas também através dela realizar sonhos e buscar os próprios objetivos. A secretária municipal de Educação (Smed), Joelice Braga, ressaltou que a capoeira já está presente em 75 escolas municipais e que a iniciativa oficializa a parceria já existente entre os mestres, associações e as instituições de ensino, além de possibilitar a ampliação do ensino da capoeira nas demais escolas.

O presidente da Fecaba, Mestre Marcelo Grauçá, lembrou que a capoeira trabalha bastante com o lúdico, coordenação motora, socialização e técnicas de aprendizado, e que no contexto geral traz um resultado bastante positivo para as crianças e jovens que praticam o esporte. “É um reconhecimento que a capoeira está tendo em nosso município, de conseguir celebrar esses contratos junto às escolas. Agora vamos sentar para dialogar e verificar a forma mais prática de atender a todos.”

Ele ainda comemorou, em nome de todos os capoeiristas, a entrega da sede da categoria pela Prefeitura que está localizada na Rua do Sodré, no Pelourinho, e que servirá em breve tanto como ponto de apoio para os capoeiristas da cidade e do estado, como também ponto de visitação de turistas e interessados na arte-luta. Também foi anunciada a recuperação da praça Mestre Bimba, em Amaralina, pela administração municipal.

Galeria de Fotos

BUSCAR NO SITE: