Notícias

Postado em 30/09/2016 10:09

Candidato ligado a igreja exige votos de fiéis com a promessa de abençoá-los

De acordo com a PF, durante as investigações constatou-se que, além da promessa de bênção ou maldição, o esquema ainda incluía a distribuição de gêneros alimentícios em comunidades carentes.

Share Button
Share Button

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta sexta-feira (30), a Operação Simão, que combate um esquema de oferecimento de vantagens a eleitores que envolve candidato a vereador ligado a uma igreja evangélica no município de Feira de Santana, a cerca de 100 km de Salvador.

São cumpridos nove mandados de condução coercitiva e oito de busca e apreensão na cidade, com uma equipe de 40 policiais federais.

Segundo a polícia, as investigações iniciaram há cerca de um mês, a partir de requisição do Ministério Público Eleitoral, que informou a captação ilícita de votos por parte de um candidato a vereador vinculado a uma igreja evangélica.

Conforme o pedido do MPE, o candidato e o grupo a ele vinculado estariam cadastrando eleitores fiéis da igreja, com a promessa de abençoá-los, e “amaldiçoavam” quem se recusava a fornecer dados do título eleitoral.

De acordo com a PF, durante as investigações constatou-se que, além da promessa de bênção ou maldição, o esquema ainda incluía a distribuição de gêneros alimentícios em comunidades carentes, a fim de convocar eleitores.

A investigação ainda apontou um esquema de favorecimento na marcação de exames e consultas médicas pelo Serviço Único de Saúde (SUS) àqueles que prometiam seu voto ao candidato.

A polícia também identificou a prática de “venda de votos em lote” por parte de uma liderança comunitária local, que envolve outro candidato à Câmara Municipal.

Conforme a Polícia Federal, os investigados responderão pelos crimes previstos nos artigos 299 e 334 do Código Eleitoral. O artigo 299 determina que é crime “dar, oferecer, prometer, solicitar ou receber, para si ou para outrem, dinheiro, dádiva, ou qualquer outra vantagem, para obter ou dar voto e para conseguir ou prometer abstenção, ainda que a oferta não seja aceita” e prevê pena de reclusão até quatro anos e pagamento de multa.

O artigo 334 trata sobre a utilização de organização comercial de vendas, distribuição de mercadorias, prêmios e sorteios para propaganda ou aliciamento de eleitores, com pena de detenção de seis meses a um ano e cassação do registro se o responsável for candidato.

O nome da operação, “Simão”, vem do codinome utilizado pelos policiais para se referir ao principal investigado, uma referência ao Apóstolo de Jesus Cristo.

Outras Notícias:

Interior da Bahia

Feira de Santana: assassinatos marcam dia na cidade

Três assassinatos foram registrados nesta quinta-feira (20) em Feira de Santana, elevando para 19 o...

DESAPARECIDO

COMPARTILHE! Gabriel Morador do Rio Sena está DESAPARECIDO

Nesta noite de Sexta(21), familiares de Gabriel trindade Barbosa, 35 anos entraram em contato com o...

Semana de Lazer

Esporte domina fim de semana de lazer em Salvador

Atividades esportivas vão dominar a programação de lazer deste fim de semana em Salvador, com atr...

Policia

Policial militar é ferido durante tentativa de assalto dentro de trem do Subúr

Guarnições da Polícia Militar se deslocam, na noite desta sexta-feira (21), para Itacaranha, no s...

Comentários:

BUSCAR NO SITE: