Internacional

Postado em 29/06/2016 5:09

Brasil ganha banda larga por satélite a preços “acessíveis”; veja os planos

.

Share Button
Share Button

Aravés de um evento realizado na manhã desta terça-feira (28), a empresa norte-americana de telecomunicações Hughes anunciou oficialmente a chegada do HughesNet, seu serviço de banda larga via satélite, ao território brasileiro. Embora seja relativamente desconhecida, a companhia já atua em nosso país desde 1968, quando vendeu satélites de comunicação para as forças militares nacionais.

Com a HughesNet, a companhia pretende ofertar internet de alta qualidade em regiões não atendidas por teleoperadoras que trabalham com ADSL ou fibra óptica, como áreas rurais e pequenas cidades do interior dos estados. De acordo com os executivos da companhia, a Hughes vem para atender aos usuários que têm renda para contratar uma infraestrutura de banda larga robusta, mas que não são suportados por outras provedoras.

Além disso, o serviço terá como base a banda Ka, uma frequência na qual satélites de alta capacidade podem trabalhar a um custo mais baixo — e isso obviamente se reflete em um preço ligeiramente menor ao consumidor final. Os planos da HughesNet poderão ser contratados a partir da sexta-feira (1º de julho), sendo que o suporte, a instalação e o pós-venda ficarão a cargo da empresa parceira Elsys.

Antena que recebe o sinal de internet banda larga da Hughes

Quanto custa?

O plano residencial mais econômico da HughesNet custa R$ 249,90 e oferece 10 MB de download e 1 MB de upload, sendo necessário arcar ainda com uma taxa de adesão de R$ 359,90. O pacote tem duas franquias distintas: 15 GB para usar em qualquer horário e 20 GB para uso noturno, da 00h às 7h (totalizando 35 GB). A ideia é incentivar o internauta a baixar arquivos pesados durante a noite, quando os satélites estão com menor fluxo de usuários.

Há ainda o plano de 15 MB de download e 1,5 MB de upload, que custa R$ 349,90 e tem franquia total de 50 GB (sendo 20 GB normais e 30 noturnos). Por fim, o pacote top de linha oferece 20 MB de download e 2 MB de upload por R$ 449,90 — a franquia total é de 65 GB (25 GB normais e 40 GB noturnos). A taxa de adesão é a mesma para todos os planos.

Tabela de planos residenciais

Ao exceder sua franquia, o internauta poderá continuar navegando com internet reduzida (de 500 Kbps a 1 Mbps) ou adquirir mais 1 GB por R$ 29,90. Os executivos da companhia explicam que esse modelo de cobrança é necessário, visto que, sem eles, “o cliente que navega mais estaria ocupando o espaço daquele que navega menos”. Além disso, a HughesNet promete trabalhar com uma latência (ping) de 600 ms a 800 ms.

Promocionalmente, o consumidor poderá testar qualquer um dos planos por até 30 dias e cancelar a assinatura sem pagar a mensalidade ou a multa de fidelidade (os pacotes têm contrato de 12 meses). A assinatura poderá ser feita pelo site oficial da HughesNet (http://www.hughesnet.com.br/), pela rede credenciada da Elsys ou pelo telefone 4003-5111.

A companhia oferecerá três planos de internet residencial

Planos corporativos e expansão pelo Brasil

A HughesNet também oferecerá três planos corporativos: o de 15 MB de download e 3 MB de upload (R$ 459,90), o de 20 MB de download e 4 MB de upload (R$ 659,90) e o de 25 MB de download e 5 MB de upload (R$ 859,90). As franquias são de, respectivamente, 40 GB, 60 GB e 80 GB, sendo que a divisão de franquia normal e noturna formam exatamente a metade do valor integral (por exemplo, 20 GB de dia e 20 GB de noite).

Vale observar que a principal diferença desses pacotes é velocidade maior para upload e a franquia mais robusta durante o horário comercial, visto que, naturalmente, as companhias usam mais internet ao longo do dia. A taxa de adesão desses planos custa R$ 469,90, e o contrato de fidelidade é válido por 24 meses.

Vale observar que, neste primeiro momento, a HughesNet estará disponível em um total de 4 mil municípios brasileiros, cobrindo cerca de 80% do território nacional. Até 2018, a marca pretende expandir sua cobertura para 90%, e, em 2020, atender 100% do país.

A marca pretende cobrir 100% do Brasil até 2020

Preços acessíveis?

A essa altura do campeonato, é bem provável que você esteja achando um tanto irônico o termo “preços acessíveis” que usamos no título desta matéria. Pois bem: embora os planos da HughesNet sejam comercializados por valores um tanto assustadores, é importante lembrar que internet via satélite sempre foi bastante cara — e, em comparação com alguns concorrentes, a companhia consegue, sim, oferecer pacotes bons por custos baixos.

Em uma rápida pesquisa no Google, conseguimos encontrar uma operadora oferecendo uma conexão de 128 Kbps por R$ 399 e franquia de apenas 1,1 GB — sem falar que o custo de adesão era de R$ 2,7 mil. Sendo assim, o uso da banda Ka (que barateia bastante a operação) se torna uma vantagem para a HughesNet, que, dentro desse segmento, parece capaz de tornar a internet por satélite mais acessível às zonas rurais brasileiras.

Galeria de Fotos

Outras Notícias:

Curioso!

Homem ‘morre’ 27 vezes ao ter infartos em série após jogar futebol

Ray Woodhall, de 54 anos, teve um infarto em dezembro passado após jogar seis partidas de futebol d...

Fiu Fiu!

Diarista cobra R$ 175 para fazer faxina completamente nua; veja fotos

Uma britânica chamada Deni Kirkova cobra 45 libras (algo em torno de R$ 175), para fazer uma hora d...

Será o fim do Planeta ?

‘Astrônomo’ russo afirma que asteroide vai se chocar com a Terra em

O fim do mundo tem uma nova data: 16 de fevereiro. Pelo menos é o que garante o auto-proclamado ast...

Mundo

Putin sanciona lei que permite bater na mulher uma vez por ano na Rússia

Vladimir Putin sancionou a lei que assegura aos maridos russos o direito de bater em suas mulheres e...

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

BUSCAR NO SITE: